Una News - Responsabilidade com a Notícia - Nosso WhatsApp (73) 99857-0585 Email: unanews@yahoo.com.br
JULIAN-CALCADOS
mercado-uniao-1
espaco-rural-placa-1-1
WhatsApp-Image-2023-07-13-at-11.39.39
escola_coopesul
unafisiombanner-1
CESTAODAECONOMIA
ECOMASTER
clinicavitamed
Cartao-de-visita-para-motorista-particular-simples-preto_20231014_003543_0000
mototaxi-1
GUTIERRE

“ESCRAVO REPRODUTOR” TEVE MAIS DE 200 FILHOS E VIVEU 130 ANOS, AFIRMA FAMÍLIA

  • Jorge Pereira:Jornalista-DRT 0005599/BA - 15/08/2016
                       
Imagem Automática abaixo do botão
Neta de escravo contra com orgulho a história do patriarca (Foto: Fabio Rodrigues/G1)

Neta do escravo Pata Seca conta com orgulho a história do patriarca (Foto: Fabio Rodrigues/G1)

“É uma história verdadeira, não é uma lenda”, diz Maria Madalena Florêncio Florentino enquanto segura a foto do avô. Nascido em Sorocaba na primeira metade do século XIX, Roque José Florêncio foi comprado por um fazendeiro de São Carlos (SP) e escolhido para ser “escravo reprodutor” no distrito de Santa Eudóxia. Familiares e um estudo afirmam que ele teve mais de 200 filhos e, segundo a certidão de óbito, morreu com 130 anos.

https://youtu.be/Nmp7KLGNhbA

O documento, lavrado em 17 de fevereiro de 1958, aponta que Roque morreu por insuficiência cardíaca, miocardite, esclerose e senilidade. A quantidade de filhos estaria contabilizada em um antigo livro da Fazenda Grande. Mas a família diz que não tem documentos que comprovem os nascimentos e procura os descendentes nas redes sociais.  “No Broa tem, em São Paulo, Araraquara, mas, quando eu pergunto, dizem que não sabem. É uma incógnita”, afirmou o neto Celso Tassim, de 54 anos.

Certidão de óbito atesta que escravo viveu durante 130 anos (Foto: Fabio Rodrigues/G1)

Certidão de óbito de 1958 atesta que escravo Pata Seca viveu durante 130 anos (Foto: Fabio Rodrigues/G1)

Como era alto – tinha 2,18 m – e, na época, acreditava-se que homens com canelas finas gerariam filhos do sexo masculino, foi escolhido para se deitar com as escravas e gerar mais mão de obra.* Do G1,  Leia mais…

Compartilhe

Atenção:

Aviso: Os comentários são de responsabilidade dos autores e não representam a opinião do Una News. É vetada a postagem de conteúdos que violem a lei e/ ou direitos de terceiros. Comentários postados que não respeitem os critérios podem ser removidos sem prévia notificação.

NOTÍCIAS RELACIONADAS