Una News - Responsabilidade com a Notícia - Nosso WhatsApp (73) 99857-0585 Email: unanews@yahoo.com.br
JULIAN-CALCADOS
mercado-uniao-1
espaco-rural-placa-1-1
WhatsApp-Image-2023-07-13-at-11.39.39
escola_coopesul
unafisiombanner-1
CESTAODAECONOMIA
ECOMASTER
clinicavitamed
Cartao-de-visita-para-motorista-particular-simples-preto_20231014_003543_0000
mototaxi-1
GUTIERRE

CRUELDADE: MULHER CONFESSA QUE CORTOU BARRIGA E ÚTERO DE GRÁVIDA PARA ROUBAR BEBÊ

  • Jorge Pereira:Jornalista-DRT 0005599/BA - 02/07/2015
                       
Imagem Automática abaixo do botão

A suspeita afirmou que havia simulado uma gravidez para manter o casamento com o marido e premeditou o crime.

Imagem5

Gilmária Silva Patrocínio, admitiu que o cortou com uma lâmina barriga e o útero da vítima para fazer o parto

A mulher que foi presa suspeita de ter matado a jovem Patrícia Xavier da Silva, 21 anos, na cidade de Ponte Nova-MG, confessou o crime após apresentar versões contraditórias.

O crime aconteceu em Ponte Nova, na zona da Mata de Minas Gerais, e o corpo da mulher de 21 anos foi encontrado nesta terça-feira (30) na zona Rural da Cidade.

Gilmária Silva Patrocínio, admitiu que matou a mulher que estava no nono mês de gestação para roubar o bebê, que ainda estava na barriga da vítima. Ela confessou ao Delegado Silvério Rocha, que o cortou com uma lâmina barriga e o útero da vítima para fazer o parto.

A suspeita contou ainda que simulou que estava grávida para manter o casamento com o marido e que premeditou o crime. Depois de retirar o bebê da barriga de Patrícia, Gilmária levou o recém-nascido para casa e acionou os bombeiros alegando ter tido um parto em casa e que precisava de socorro. Ela e a criança foram encaminhados a um hospital da região. No hospital, também houve desconfiança quanto à versão de Gilmária do parto em casa.

Imagem4

Patrícia Xavier da Silva, foi brutalmente assassinada e teve seu bebê arrancado da barriga.

A polícia chegou a suspeita após ela ter sido vista por testemunhas com a vítima no local do crime, uma construção abandonada e o hospital suspeitar do parto residencial. O andarilho Erli Custodio Marçal, que dormia no imóvel abandonado também está preso, ele nega ter participado do assassinato.

Imagem6

O andarilho Erli Custodio Marçal, foi preso suspeito de participar do crime

Já o bebê está acautelado em um local seguro, conforme o delegado. Um exame de DNA foi pedido em caráter de urgência para confirmar a paternidade.

Com as informações do G1

Compartilhe

Atenção:

Aviso: Os comentários são de responsabilidade dos autores e não representam a opinião do Una News. É vetada a postagem de conteúdos que violem a lei e/ ou direitos de terceiros. Comentários postados que não respeitem os critérios podem ser removidos sem prévia notificação.

NOTÍCIAS RELACIONADAS