Una News - Responsabilidade com a Notícia - Nosso WhatsApp (73) 99857-0585 Email: unanews@yahoo.com.br
JULIAN-CALCADOS
mercado-uniao-1
espaco-rural-placa-1-1
WhatsApp-Image-2023-07-13-at-11.39.39
escola_coopesul
unafisiombanner-1
CESTAODAECONOMIA
ECOMASTER
clinicavitamed
Cartao-de-visita-para-motorista-particular-simples-preto_20231014_003543_0000
mototaxi-1
GUTIERRE

TCM:PREFEITO DE NAZARÉ É DENUNCIADO AO MP POR IRREGULARIDADES EM CONTRATAÇÕES

  • Jorge Pereira:Jornalista-DRT 0005599/BA - 12/02/2015
                       
Prefeito de Nazaré, Milton Rabelo de Almeida Júnior

Foto:Bocão News/Prefeito de Nazaré, Milton Rabelo de Almeida Júnior

O Tribunal de Contas dos Municípios decidiu pela procedência de duas denúncias formuladas contra o prefeito de Nazaré, Milton Rabelo de Almeida Júnior, e determinou a formulação de representação ao Ministério Público Estadual contra o gestor, em razão da gravidade das irregularidades praticadas no exercício de 2013. O relator do processo, julgado na última quarta-feira (11/02), o conselheiro José Alfredo Dias, aplicou ainda multa de R$ 15 mil ao prefeito.

A primeira denúncia tratou de irregularidades na contratação da empresa Romildo Santos & Cia Ltda. Me, que tinha como objeto a locação de veículos. O denunciante, Ailton Figueiredo Souza Júnior, afirmou tratava-se de uma contratação fictícia, pois a empresa não possui lastro financeiro capaz de justificar os negócios celebrados com o município, nem bens em seu nome, inclusive, os que seriam supostamente disponibilizados através dos contratos firmados. A relatoria concluiu que o gestor teve oportunidade de comprovar a legalidade da contratação, mas não encaminhou qualquer documentação que atestasse a lisura do procedimento, sendo determinada a imediata rescisão do contrato.

O outro processo, formulado por José Soares da Silva Neto, contestou a legalidade da aquisição de areia junto a empresa Roseli de Jesus Ramos – ME, de propriedade da nora da Secretária Municipal de Educação, Ana Luzia de Almeida Caldas, irmã do gestor. O relator afirmou que a existência de vínculo familiar entre o prefeito e a proprietária da empresa contratada é vedada, pois reduz a independência da contratação e permite uma situação privilegiada. Também foi solicitada a rescisão do contrato.

Compartilhe

Atenção:

Aviso: Os comentários são de responsabilidade dos autores e não representam a opinião do Una News. É vetada a postagem de conteúdos que violem a lei e/ ou direitos de terceiros. Comentários postados que não respeitem os critérios podem ser removidos sem prévia notificação.

NOTÍCIAS RELACIONADAS