Una News - Responsabilidade com a Notícia - Nosso WhatsApp (73) 99857-0585 Email: unanews@yahoo.com.br
JULIAN-CALCADOS
mercado-uniao-1
espaco-rural-placa-1-1
WhatsApp-Image-2023-07-13-at-11.39.39
escola_coopesul
unafisiombanner-1
CESTAODAECONOMIA
ECOMASTER
clinicavitamed
Cartao-de-visita-para-motorista-particular-simples-preto_20231014_003543_0000
mototaxi-1
GUTIERRE

BRASILEIRO QUE FOI MORTO NA INDONÉSIA ESCOLHEU SER FUZILADO DE PÉ E VENDADO

  • Jorge Pereira:Jornalista-DRT 0005599/BA - 23/01/2015
                       
Imagem Automática abaixo do botão

Um homem ficou responsável por quebrar os ossos do brasileiro com um pedaço de madeira após a execução, segundo jornal

Brasileiro condenado na Indonésia escolher ser fuzilado de pé e vendado (Foto: Reprodução)

Brasileiro condenado na Indonésia escolher ser fuzilado de pé e vendado (Foto: Reprodução)

O brasileiro condenado à morte no último sábado (17) na Indonésia, Marco Archer Cardoso Moreira, 53 anos, escolheu ser executado de pé e vendado, segundo reportagem da “Folha de S. Paulo”.

Ele tinha a opção de sentar em uma cadeira ou se ajoelhar. Em reportagem publicada nesta última quinta-feira (22), o jornal revela que os outros quatro executados lado a lado dele fizeram a mesma escolha.

O brasileiro morreu dez minutos após ser atingido por um único tiro de fuzil no peito. O tiro foi disparado de uma distância de menos de dez metros.

Após um médico constatar a morte do primeiro brasileiro morto por condenação na história, o corpo de Archer foi vestido com um terno preto, dado pelo governo da Indonésia, e colocado num caixão branco. O corpo foi cremado em uma folha de bananeira, ainda de acordo com a “Folha”.

Um indonésio ficou responsável por quebrar os ossos do brasileiro com um pedaço de madeira. O corpo não foi totalmente carbonizado.

As cinzas de Marco Archer foram entregues à tia dele, Maria de Lourdes Archer Pinto, que viajou até à Indonésia ao ser informada que o último pedido de clemência havia sido negado pelo presidente.

Marco foi preso em 2004, no aeroporto de Jacarta, ao tentar entrar no país com 13 quilos de cocaína escondidos nos tubos de uma asa-delta.

Folha de S. Paulo

Compartilhe

Atenção:

Aviso: Os comentários são de responsabilidade dos autores e não representam a opinião do Una News. É vetada a postagem de conteúdos que violem a lei e/ ou direitos de terceiros. Comentários postados que não respeitem os critérios podem ser removidos sem prévia notificação.

NOTÍCIAS RELACIONADAS