Una News - Responsabilidade com a Notícia - Nosso WhatsApp (73) 99857-0585 Email: unanews@yahoo.com.br
JULIAN-CALCADOS
mercado-uniao-1
espaco-rural-placa-1-1
WhatsApp-Image-2023-07-13-at-11.39.39
escola_coopesul
unafisiombanner-1
CESTAODAECONOMIA
ECOMASTER
clinicavitamed
Cartao-de-visita-para-motorista-particular-simples-preto_20231014_003543_0000
mototaxi-1
GUTIERRE

NIGÉRIA ANUNCIA ACORDO PARA LIBERTAR MENINAS SEQUESTRADAS HÁ SEIS MESES

  • Jorge Pereira:Jornalista-DRT 0005599/BA - 18/10/2014
                       
Imagem Automática abaixo do botão

Imagem2

O governo da Nigéria e o grupo radical islâmico Boko Haram anunciaram nesta sexta-feira (17) um acordo que prevê um cessar-fogo e a libertação de mais de 200 meninas sequestradas há seis meses em uma escola da aldeia de Chibok, localizada no Nordeste do país. O sequestro foi no dia 14 de abril, quando os militantes do Boko Haram entraram na escola e, após incendiar o local, levaram 270 meninas em 20 caminhonetes e cerca de 30 motocicletas.

Algumas conseguiram fugir ou foram libertadas, mas 219 continuam em cativeiro. O governo nigeriano foi muito criticado internamente e por outros países pela incapacidade de resolver a situação e encontrar e libertar as garotas.

 A campanha #BringBackOurGirls (Tragam de volta nossas meninas, em inglês) conseguiu mais de 1 milhão de assinaturas no abaixo-assinado online que ajudou a manter o caso no noticiário internacional. A primeira-dama dos Estados Unidos, Michelle Obama, postou em maio uma foto segurando um pedaço de papel em que estava escrito #BringBackOurGirls.

 A foto teve grande repercussão e atraiu a atenção e o apoio de várias personalidades. Ify Elueze, a jovem nigeriana de 23 anos que iniciou a campanha, disse hoje que está “extremamente animada com a notícia e otimista, mas cautelosa”. Ify agradeceu as assinaturas no abaixo-assinado e ressaltou que a libertação das meninas não seria possível se pessoas de todo o mundo não tivessem levantado a voz para exigir que o governo nigeriano e governantes de vários países fizessem o possível para trazê-las de volta para casa.

 “Meus pensamentos estão com as meninas nigerianas e suas famílias, enquanto elas aguardam para poder voltar para casa. Eu mal posso esperar para poder dizer que nós trouxemos de volta nossas garotas, ou #WeBroughtBackOurGirls”.

Fonte:Bahianotícias

Compartilhe

Atenção:

Aviso: Os comentários são de responsabilidade dos autores e não representam a opinião do Una News. É vetada a postagem de conteúdos que violem a lei e/ ou direitos de terceiros. Comentários postados que não respeitem os critérios podem ser removidos sem prévia notificação.

NOTÍCIAS RELACIONADAS