Una News - Responsabilidade com a Notícia - Nosso WhatsApp (73) 99857-0585 Email: unanews@yahoo.com.br
JULIAN-CALCADOS
mercado-uniao-1
espaco-rural-placa-1-1
WhatsApp-Image-2023-07-13-at-11.39.39
escola_coopesul
unafisiombanner-1
CESTAODAECONOMIA
ECOMASTER
clinicavitamed
Cartao-de-visita-para-motorista-particular-simples-preto_20231014_003543_0000
mototaxi-1
GUTIERRE

MORTE DE EDUARDO CAMPOS RACHA PSB – E NÃO IMPORTA SE MARINA SERÁ OU NÃO CANDIDATA

  • Jorge Pereira:Jornalista-DRT 0005599/BA - 15/08/2014
                       
Imagem Automática abaixo do botão

A morte do ex-governador de Pernambuco e candidato à presidência da República pelo PSB – Eduardo Campos – vai de forma inexorável aumentar o tamanho do “racha” no partido socialista.
Qualquer que seja a decisão de Marina Silva, quanto a assumir a condição de candidata no lugar que era de Campos, não terá como evitar a divisão dos integrantes do PSB. 
Eduardo Campos conseguiu costurar uma aliança interna, equilibrando em torno do seu nome e dos objetivos eleitorais de um primeiro turno, os diversos interesses estaduais dos seus correligionários. Com a sua morte e consequente saída de forma prematura e repentina do cenário eleitoral brasileiro, já está ocorrendo um “cada por si”, no sentido de que rumo tomar.
O tempo é curto para a decisão de ter MARINA como candidata. Muitos integrantes do PSB não tem com ela o compromisso que tinham com Eduardo Campos. Há quem já esteja de forma oportunista, anunciando deixar o apoio ao PSB (Pedro Taques – PDT já caiu fora). Ele estava com Campos, mas não estará com Marina, caso ela aceite todas as imposições que o PSB lhe fará para ceder o posto de candidata.
Uma parte considerável dos integrantes do PSB sempre desejou apoiar a reeleição de Dilma. A figura de Eduardo Campos se impôs e venceu essa tendência, Agora, sem ele, ainda que de forma não oficial, este segmento vai abraçar a candidatura do PT. 
Em São Paulo, não há como conciliar Marina no acerto com Geraldo Alckmin. Os comitês eleitorais chamados de ‘EDUALDO’, perderam o sentido. Quem perde muito com uma eventual candidatura de Marina Silva, é Aécio Neves. O tucanato sabe que são maiores as chances de um segundo turno com MARINA candidata, mas, sabem também, que são enormes as chances deles estarem fora dessa disputa.
Triste constatação. A ‘ficha’ da morte de Eduardo Campos ainda não caiu, mas, está claro que sem ele, o PSB dificilmente evitará se fragmentar e enfraquecer e, que a sede de poder é muito maior do que o LUTO pelo passamento do ex-governador.

Do 007bond

Compartilhe

Atenção:

Aviso: Os comentários são de responsabilidade dos autores e não representam a opinião do Una News. É vetada a postagem de conteúdos que violem a lei e/ ou direitos de terceiros. Comentários postados que não respeitem os critérios podem ser removidos sem prévia notificação.

NOTÍCIAS RELACIONADAS