Una News - Responsabilidade com a Notícia - Nosso WhatsApp (73) 99857-0585 Email: unanews@yahoo.com.br
JULIAN-CALCADOS
mercado-uniao-1
espaco-rural-placa-1-1
WhatsApp-Image-2023-07-13-at-11.39.39
escola_coopesul
unafisiombanner-1
CESTAODAECONOMIA
ECOMASTER
clinicavitamed
Cartao-de-visita-para-motorista-particular-simples-preto_20231014_003543_0000
mototaxi-1
GUTIERRE

CAIXA-PRETA NÃO GRAVOU DIÁLOGOS DO VOO DE EDUARDO CAMPOS, DIZ AERONÁUTICA

  • Jorge Pereira:Jornalista-DRT 0005599/BA - 15/08/2014
                       
Imagem Automática abaixo do botão

 Equipamento continha apenas gravações anteriores; motivo ainda é desconhecido










A caixa-preta do avião de Eduardo Campos não contém registros do voo que vitimou o candidato à presidência da República pelo PSB em acidente na quarta-feira (13) em Santos, no litoral paulista.

Como a  caixa-preta só registrava áudio, e não dados, a inexistência desse material significa que não há nenhum registro sobre o voo no equipamento. A Força Aérea Brasileira (FAB) diz que as informações não são imprescindíveis para determinar as causas do acidente.



















Normalmente, as caixas-pretas guardam os registros de voz do último voo. Os motivos pelos quais as gravações do voo de Campos não foram realizadas ainda são desconhecidos, segundo a FAB. 

“Não é possível, até o momento, determinar a data dos diálogos registrados no CVR [Cockpit Voice Recorder, gravador de voz], tendo em vista que esse tipo de equipamento não registra essa informação. As razões pelas quais o áudio obtido não corresponde ao voo serão apuradas durante o processo de investigação.”

O modelo da aeronave usada por Campos só tinha o CRV, que grava os sons internos da cabine, principalmente as conversas entre os pilotos. Diferentemente de aeronaves de maior porte, o jatinho executivo não é obrigado a ter o mecanismo chamado flight data recorder (FDR), que registra os parâmetros de voo, como a velocidade, as posições em que estavam posicionados os manetes e quais os comandos que foram acionados.

Por lei, a aeronave não pode decolar se o CRV não estiver ligado, informou a Agência Nacional de Aviação Civil (Anac).

“O equipamento, embora não seja um item de segurança, deve ser obrigatoriamente checado pelo comandante antes do início do taxiamento”, informou a agência, em nota. Leia mais

Do IG

Compartilhe

Atenção:

Aviso: Os comentários são de responsabilidade dos autores e não representam a opinião do Una News. É vetada a postagem de conteúdos que violem a lei e/ ou direitos de terceiros. Comentários postados que não respeitem os critérios podem ser removidos sem prévia notificação.

NOTÍCIAS RELACIONADAS