Una News - Responsabilidade com a Notícia - Nosso WhatsApp (73) 99857-0585 Email: unanews@yahoo.com.br
JULIAN-CALCADOS
mercado-uniao-1
espaco-rural-placa-1-1
WhatsApp-Image-2023-07-13-at-11.39.39
escola_coopesul
unafisiombanner-1
CESTAODAECONOMIA
ECOMASTER
clinicavitamed
Cartao-de-visita-para-motorista-particular-simples-preto_20231014_003543_0000
mototaxi-1
GUTIERRE

VEREADORA DE PONTA GROSSA É PRESA ACUSADA DE SIMULAR PRÓPRIO SEQUESTRO

  • Jorge Pereira:Jornalista-DRT 0005599/BA - 04/01/2013
                       
Imagem Automática abaixo do botão

Uma vereadora de Ponta Grossa, no Paraná, que tinha desaparecido logo depois da posse, foi presa nesta quinta (3). Ela é acusada pela polícia de simular o próprio sequestro.

A vereadora deixou o hospital hoje num carro da PM e com escolta. Ana Maria de Holleben, do PT, desapareceu logo depois da posse, na terça-feira. Segundo a polícia, ela chegou a ligar para o filho dizendo que tinha sido sequestrada.

O grupo antissequestro da Polícia Civil do Paraná foi acionado e prendeu três suspeitos, um deles motorista da vereadora. Na delegacia, eles confessaram que não houve sequestro.

Na tarde de quarta, a vereadora reapareceu na Santa Casa de Ponta Grossa, com sintomas de hipertensão. Ela foi presa em flagrante. E, depois, transferida para o hospital regional, onde ficou internada desde ontem sob a vigilância de policiais militares.

Depois de sair do hospital, a vereadora foi levada para uma delegacia para prestar depoimento. De acordo com a polícia, a vereadora forjou o sequestro por motivos políticos. Ana Maria imaginou que sem a presença dela na Câmara, os outros vereadores decidiriam adiar a sessão para eleger a mesa diretora.

Com isso, ela esperava ganhar mais tempo para negociar os nomes do presidente e dos outros integrantes da mesa. 

Na tarde de quinta, na delegacia, a vereadora passou por exame médico e ainda não foi ouvida pela polícia.

“Nós temos a convicção de que houve realmente a simulação do sequestro pelas provas já colhidas. Agora, basta que ela esclareça onde ela esteve, por que realmente fez isso. Tudo isso vai depender do depoimento dela“, disse Danilo Cesto, delegado.

Numa sessão tumultuada, a Câmara elegeu nesta quinta o novo presidente, Aliel Machado, do PC do B, que afirmou que o caso deve ser investigado pelos outros vereadores.
FONTE:http://g1.globo.com

Compartilhe

Atenção:

Aviso: Os comentários são de responsabilidade dos autores e não representam a opinião do Una News. É vetada a postagem de conteúdos que violem a lei e/ ou direitos de terceiros. Comentários postados que não respeitem os critérios podem ser removidos sem prévia notificação.

NOTÍCIAS RELACIONADAS